Novo terminal do aeroporto de BH ganha vidros de grande dimensão

Vidros usados no Terminal 2 do Aeroporto de BH garantiram isolamento de ruído, proteção contra os raios UV, controle da temperatura e estética diferenciada

 

Aeroporto Belo Horizonte

A audaciosa obra de expansão do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins (MG), tem como finalidade tornar o complexo no maior centro de distribuição de voos do Brasil. Um dos marcos dessa ampliação foi a construção do novo terminal, inaugurado em 2016.

Com 47 mil m² de área útil, o Terminal 2 possui 17 pontes de embarque (totalizando 26 fingers), o que contribuiu para aumentar significativamente a capacidade do aeroporto para 22 milhões de passageiros por ano.

Junto com o novo terminal, foram construídas outras salas de embarque, mais esteiras de bagagem e 44 posições para guardar as aeronaves. Além disso, o estacionamento para veículos foi ampliado, as pistas de rolamento foram adequadas e as vias terrestre passaram por uma reconfiguração.

E no futuro?

Em 2020, será entregue a segunda pista, com 2,5 mil m de extensão. Também há previsão de construir outras vias de rolamento e de serviço, viaduto (que conectará as duas pistas), edifício-garagem e até um aeroporto industrial.A partir de então, há planos para expandir e aplicar melhorias (conforme necessidade); inclusive, há possibilidades de implantar um outro terminal de passageiros e de ampliar o terminal de cargas.

 

Uma grande pele de vidro

A obra lançou mão de um sistema construtivo que compreende estrutura metálica de aço, isolamento termoacústico (interno e externo) e, especialmente, uma grande pele de vidro – que também possui bom desempenho no controle da temperatura e de ruídos.

banner

“O vidro é um caso à parte. Nós estávamos lidando com uma grande obra, de aproximadamente 600 metros de comprimento – quase 6 quarteirões. Portanto, precisávamos criar uma faixa envidraçada bem comprida. Existiam, também, questões a serem resolvidas, como a necessidade de isolar o barulho das turbinas dos aviões. Tudo isso com boa visibilidade para a parte de operação da pista”, conta Marcelo Consiglio Barbosa, um dos titulares do Bacco Arquitetos Associados – escritório responsável pelo projeto arquitetônico.

Compartilhe:

Comentários